Olivia Newton-John e o câncer de mama

Compartilhe:

A atriz Olivia Newton-John, do filme Grease, revelou que seu câncer de mama voltou

O câncer de mama é um dos tumores mais comuns que afetam a vida das mulheres, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). O levantamento realizado pelo instituto estima que, em 2016, mais de 57 mil pessoas foram diagnosticadas com o tumor.

Recentemente, a atriz e cantora britânica Olivia Newton-John (68), estrela do filme “Grease – Nos Tempos da Brilhantina” (1978), anunciou em sua página da internet que estava sofrendo com a doença.

Olivia já havia sido diagnosticada, em 1992, com o mesmo tipo de câncer. Agora, além da mama, o tumor se espalhou pela coluna. “A dor nas costas que inicialmente causou o adiamento da primeira metade da sua turnê de shows se mostrou ser um câncer de mama que entrou em metástase para o sacro”, disse o comunicado oficial da assessoria da atriz. Por conta disso, a cantora precisará adiar seus shows da turnê de junho pelos Estados Unidos e Canadá.

Com relação aos tratamentos, a artista foi orientada a utilizar terapias naturais e sessões de radioterapia. Seu retorno aos palcos está previsto para o final do ano.

O histórico familiar da atriz de Grease acaba tornando-se um fator de risco, já que seu pai faleceu por conta da doença. Em 2013, a irmã foi diagnosticada, aos 70 anos, com um tumor no cérebro e não resistiu.

Primeiro diagnóstico do câncer de mama

Em 1992, a cantora precisou passar por uma cirurgia de mastectomia parcial, tratamentos com quimioterapia e teve que realizar uma reconstrução mamária quando descobriu o seu primeiro câncer de mama.

Ela mudou sua vida por completo, aderindo hábitos de vida mais saudáveis e virando adepta à meditação.

Centro de Bem-Estar e Pesquisas sobre o Câncer Olivia Newton-John

Após sofrer com o drama da doença nos anos 90 e perder familiares próximos pela doença, a atriz ficou motivada a abrir seu próprio centro de pesquisas sobre o câncer, o Olivia Newton-John Cancer Wellness e Research Centre, localizado em Melbourne, na Austrália.
O instituto é focado em pesquisas e tratamentos alternativos contra a doença. Parte da renda obtida em shows da artista pelo mundo são revertidas para a instituição.

Com o centro, ela acredita ser possível transformar a luta pelo câncer em algo positivo, ajudando outras pessoas a passarem pelo momento com apoio não somente ao paciente, mas também aos familiares, além de buscar novos caminhos para, finalmente, encontrar a cura para a doença.

Você pode ver também:

Cuidados e prevenções contra o câncer Hoje é Dia Nacional da Campanha Educativa Contra o Câncer.  Você está se cuidando?   Nesta sexta-feira, 4 de agosto, é comemorado o Dia Nacional da Campanha Educativa Contra o Câncer. Informação nunca é demais e, nesse dia de conscientização, o mai...
Maria Cláudia – Conte sua história O projeto Conte sua História traz mais um depoimento emocionante e muito inspirador da luta contra o câncer de mama da nossa paciente Maria Cláudia. Este depoimento tem início em um autoexame das mamas e finaliza em uma mulher que, além de vencer o c...
PROTETOR SOLAR: SEU ALIADO CONTRA O CÂNCER DE PELE Você sabe por que usamos protetor solar? Seus avós te fizeram acreditar que não passa de uma moda nova, já que eles usavam óleo com urucum quando iam à praia? Na verdade, não é bem assim. As primeiras versões do protetor solar remontam ao Egito an...
Vacinas contra gripe influenza em pacientes com câncer. Nos últimos dias venho recebendo inúmeras perguntas a respeito das vacinas contra gripe influenza e seus riscos para pacientes com câncer. Por esta razão decidi resumir aqui alguns pontos importantes: Afinal, pacientes em tratamento oncológico podem...
Compartilhe: